FUNAAD - Manaíra - PB

Fundação Antônio Antas Diniz

Cultura, Educação, Ética, Fraternidade, História, Ação Social

Home - FUNAAD - Fundação Sócio Cultural Antônio Antas Diniz
FUNAAD
Motivação
Objetivos

Diretoria

Ação Cultural
Ação Social
Espaço Cultural
Museu
OCA
Antônio Antas
O Fundador

Trabalhe

   conosco

Contatos

www.manaira.net - Site em construção

Caríssimos amigos, caríssimas amigas,
 

Bem-vindos e bem-vindas ao nosso Site!

 

Apresentamos, em breves palavras, dois aspectos de nossa Fundação:

 

1) MOTIVAÇÃO DO NOME:

Antônio Antas Diniz foi o nome escolhido para ser homenageado com o título fundacional, por conta de seu exemplo equilibrado de vida e por suas ações em benefício da Comunidade Manairense.

Em 21 de dezembro de 2009, dia do 48º aniversário da emancipação política de Manaíra, nasce formalmente a FUNAAD.

No dia do 50º aniversário da emancipação política de Manaíra - 21 de dezembro de 2011 - a Câmara Municipal, em seção solene, prestou honras a Antônio Antas, como o primeiro vereador da Vila de Manaíra e como primeiro manairense a assumir a presidência da Câmara Municipal de Princesa Isabel (PB), onde desenvolveu sua luta para conseguir a aprovação do Projeto de emancipação política de Manaíra, alcançado em 21 de dezembro de 1961.

Em 28 de janeiro de 2010, data do 105º aniversário de nascimento de Antônio Antas Diniz, publicamos a versão inicial deste Site.

Desde o princípio, elegemos como nossos pilares filosóficos: Cidadania, Cultura, Economia Solidária, Educação, Ética, Fraternidade, História... por serem alguns dos elementos essenciais que norteiam os objetivos e os trabalhos da Fundação Antônio Antas.

Como reconhecimento à fidelidade a esses princípios e ações, em  2014, a Câmara Municipal de Manaíra aprovou Projeto de Lei que concede à FUNAAD o título de ENTIDADE DE UTILIDADE PÚBLICA.

Início


2) OBJETIVOS:

A FUNAAD direciona seus trabalhos visando ao desenvolvimento e ao bem estar da comunidade manairense, através dos objetivos propostos em seus estatutos, como sintetizados nos três primeiros artigos, a seguir: 

ESTATUTOS DA “FUNDAÇÃO SÓCIO CULTURAL ANTÔNIO ANTAS DINIZ”


CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS


Art. 1º - Sob a denominação "Fundação Sócio-Cultural Antônio Antas Diniz", cuja sigla será FUNAAD, fica constituída uma Organização Não Governamental, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, de duração indeterminada, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial, que será regida pelos presentes estatutos e pela legislação específica.
 

Art. 2º - A sede da fundação localiza-se à Praça Pe. Cícero, nº 264, em Manaíra, estado da Paraíba, com foro em Princesa Isabel, estado da Paraíba, e atuação no território nacional e no exterior. Ao estender sua atividade a outras cidades, nelas poderá abrir escritório local, regional ou internacional. 

Art. 3º - A Fundação tem como finalidade promover e ajudar no desenvolvimento social, educacional, cultural e artístico regionais, tendo em vista:
a)   Resgatar e perpetuar a memória histórica e cultural de Manaíra, colaborando na divulgação das descobertas e promovendo o estudo da mesma, em qualquer região que se faça necessário.
b)   Organizar, manter e, sempre que possível, ampliar o Museu de Manaíra, sua biblioteca e o arquivo ali instalados.
c)   Promover a realização de cursos, conferências, ciclos de estudo ou quaisquer outras manifestações adequadas aos fins em vista, podendo também estabelecer prêmios a obras culturais, históricas ou outras pertinentes aos objetivos da Fundação.
d)   Promover atividades de apoio a grupos sociais desfavorecidos e/ou em risco de exclusão, situados na região onde está instalada a sede.
e)   Contribuir, em geral, para o desenvolvimento sócio-econômico e cultural da região onde está instalada a sede.
f)    Estimular e participar de iniciativas que valorizem a preservação do meio ambiente.
g)   formar parcerias estratégicas e firmar convênios para suas atividades.
h)   Apoiar técnica e administrativamente entidades do setor público ou privado que atuem na formulação, orientação, coordenação e execução de políticas relacionadas com a saúde e com a agricultura familiar.
i)     Promover a educação, a ética, a paz, a cidadania, os direitos humanos, a democracia e outros valores universais.
j)    Estimular a parceria, o diálogo, a solidariedade entre os diversos segmentos sociais, participando junto a outras entidades, de atividades que visem interesses comuns.
k)   A Fundação não tem caráter religioso ou político partidário, devendo ater-se às suas finalidades estatutárias.
 

Início


 

Este Portal está sempre em construção, contamos com sua colaboração para nos informar eventuais falhas. Juntos podemos torná-lo um patrimônio útil a todos.

Sugestões e informações serão muito bem-vindas.


AÇÃO SOCIAL

As iniciativas sociais da Fundação serão orientadas para pessoas e grupos desfavorecidos, sempre com o intuito de promover seu desenvolvimento auto-sustentável e inserção na comunidade como cidadãos de fato e de direito.

Para minimizar efeitos ligados à estiagem e à geração de emprego e renda, considerando a vocação agrícola da comunidade, a Fundação disponibiliza o conhecimento de tecnologias básicas de subsistência, a exemplo de silos, silagem, ensilagem e biodigestor.

SILOS

Os silos são estruturas especiais para conservação de forragens para a alimentação do gado. Eles objetivam a conservação de forragem sob a forma de silagem, imprescindível para superar os efeitos negativos da época seca sobre o desempenho dos animais, principalmente sobre a reprodução e produção de leite. Cinco tipos de silos podem ser construídos em propriedades rurais, e são denominados: aéreo, de encosta, cisterna, trincheira e de superfície. A escolha do tipo de silo a ser construído depende, principalmente, da quantidade de silagem a ser armazenada, da topografia, máquinas e equipamentos disponíveis, custo de cada unidade e a preferência do produtor. Sempre que possível, deve-se dar preferência ao silo tipo trincheira, por ser mais econômico e mais fácil de ser construído. Cada tipo de silo apresenta uma série de vantagens e desvantagens. Geralmente, os silos devem ficar próximos ao local de trato dos animais para maior facilidade na distribuição da silagem e economia no transporte.

SILAGEM

É chamada silagem a forragem verde, suculenta, conservada por meio de um processo de fermentação anaeróbica. As silagens são guardadas em silos.

ENSILAGEM

Chama-se ensilagem o processo de cortar a forragem, colocá-la no silo, compactá-la e protegê-la com a vedação do silo para que haja a fermentação.

Quando bem feita, o valor nutritivo da silagem é semelhante ao da forragem verde. A ensilagem não melhora a qualidade das forragens, apenas conserva a qualidade original. Portanto, uma silagem feita a partir de uma lavoura ou capineira bem manejada vai ser bem melhor que uma silagem feita com uma cultura ou capineira "passada" ou mal cuidada.
 

A silagem é um alimento volumoso, usado principalmente para bovinos. Na época seca ela pode substituir o pasto. Na engorda em confinamento ela é usada junto com os grãos e farelos. A silagem não é indicada para cavalos ou bezerros pequenos.
Fonte: http://www.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/divulga/GCD02.html

BIODIGESTOR

1. Biodigestor

Biodigestor é um reservatório onde se coloca a biomassa misturada com água. É no seu interior que acontece a fermentação da biomassa, dando origem ao biogás.
Com a crise do petróleo, na década de 70, foi trazida para o Brasil a tecnologia dos biodigestores, sendo os principais modelos implantados o Chinês e o Indiano.

2. Biogás

O biogás é obtido a partir da decomposição da matéria orgânica (biomassa). A biomassa é colocada dentro do biodigestor, onde através da digestão e fermentação das bactérias anaeróbicas é transformada em um gás conhecido como metano. Esse tipo de bactéria não precisa de ar para sobreviver, por isso o ambiente tem que ser o mais vedado possível. O biogás pode ser utilizado:

- em lampião;
- para aquecimento de fogões;
- como combustível para motores de combustão interna;
- em geladeiras;
- em chocadeiras;
- em secadores de grãos ou secadores diversos;
- para a geração de energia elétrica.

O biogás é inflamável, por isso deve-se ter alguns cuidados ao fazer uso desse gás.

3. Biomassa

Biomassa são restos orgânicos encontrados na natureza, que podem ser usados na produção de biogás, tais como:
- excrementos (bovino, suíno, eqüino etc.);
- plantas aquáticas ( aguapé, baronesa etc.);
- folhagem;
- gramas;
- restos (de rações, frutas, alimentos etc.);
- cascas de cereais (arroz, trigo etc.);
- esgotos residenciais

4. Biofertilizante

Após todo o processo de produção do biogás, existe uma sobra dentro do biodigestor que podemos chamar de biofertilizante.
O biofertilizante pode ser usado como adubo orgânico para fortalecer o solo e para o desenvolvimento das plantas.
Desta forma, o uso do biofertilizante apresenta algumas vantagens, como:
- não apresenta custo nenhum se comparado aos fertilizantes inorgânicos;
- não propaga mau cheiro;
- é rico em nitrogênio, substância muito carente no solo;
- a biomassa que fica dentro do biodigestor sem contato com o ar, mata todas as bactérias aeróbicas e germes existentes nas fezes e demais matérias orgânicas;
- está livre dos parasitas da esquistossomose, de vírus da poliomielite e bactérias como a do tifo e malária;
- recupera terras agrícolas empobrecidas em nutrientes pelo excesso ou uso contínuo de fertilizantes inorgânicos, ou seja, produtos químicos;
- é um agente de combate a erosão, porque mantém o equilíbrio ecológico retendo maior quantidade de água pluvial;
- o resíduo da matéria orgânica apresenta uma capacidade de retenção de umidade pelo solo, permitindo que a planta se desenvolva durante o período de seca.
- por outro lado, vale destacar que a única desvantagem do uso de biofertilizante é a não eliminação da acidez do solo, causada pelo uso exagerado de fertilizantes inorgânicos dificultando, muitas vezes, a absorção pela raiz da água e de nutrientes do solo como o potássio e o nitrogênio que influenciam na germinação e crescimento da planta
.

Início

 

 

 
Direitos Reservados. ©: Valdeny Antas Diniz